Agromulher promove fórum digital sobre a sustentabilidade no agro brasileiro

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

Praticar a sustentabilidade no agronegócio é aumentar a produção de alimentos e melhorar a segurança alimentar, garantindo o suprimento das necessidades de nossa geração e das gerações futuras, adotando práticas responsáveis e que respeitam o meio ambiente

A sustentabilidade no campo, também conhecida como sustentabilidade rural, utiliza práticas de preservação ambiental para as atividades do dia a dia, bem como a adoção de novas tecnologias e aplicação de métodos sustentáveis na rotina da fazenda.

Contudo, ela se destaca por utilizar recursos naturais na realização de atividades rurais sem prejudicar o ambiente, ao mesmo tempo em que proporciona ferramentas para que o desenvolvimento agrícola seja mantido e as necessidades da sociedade sejam atendidas.

Considerando que o Brasil apresenta um desenvolvimento econômico fortemente alimentado por atividades agrícolas, é crescente o debate acerca dos aspectos econômicos do agronegócio brasileiro e a preocupação com a sustentabilidade dessa atividade. Assim, as questões pertinentes nesses debates vão além dos aspectos econômicos para abordar a dimensão socioambiental desta atividade. As questões centrais, presentes nos estudos, são as ambientais e sociais, por um lado e, de outro, a viabilidade econômica do setor.

Assim, os desafios indicam, por um lado, o crescimento populacional, que necessita de níveis cada vez mais elevados na produção de alimentos, de outro, uma produção que utilize cada vez menos agroquímicos. Esse caminhar indica aumento dos níveis produtivos, com a otimização dos recursos disponíveis, a ampliação da produtividade do trabalhador, tendo presente sua qualificação, a implantação de novas tecnologias, possibilitando o desenvolvimento equilibrado e sustentado do agronegócio.

Os profissionais que utilizam a agricultura sustentável visam integrar três objetivos principais em seu trabalho:

  • Ambiente saudável;
  • Rentabilidade econômica;
  • Equidade social e econômica.

Logo, todas as pessoas envolvidas no sistema alimentar, como produtores, processadores de alimentos, distribuidores, varejistas, consumidores e gerentes de resíduos devem desempenhar um papel a fim de garantir um sistema agrícola sustentável.

Para isso, algumas práticas são frequentemente usadas por trabalhadores da agricultura sustentável e sistemas alimentares sustentáveis, como:

  • Uso de métodos para promover a saúde do solo;
  • Redução do uso da água;
  • Diminuição dos níveis de poluição na fazenda.

Dessa forma, existem ações importantes que podem ser aplicadas para desenvolver a cultura de sustentabilidade no agronegócio e será sobre essas ações que a AgroMulher irá abordar em Fórum Digital Nacional.

O evento #AgroSustentável é uma realização da Agromulher e será 100% digital e gratuito. Palestras e mesas redondas estão dentro da programação que está prevista para acontecer no mês de novembro.

O objetivo do Fórum Digital é de compartilhar conhecimento e informação sobre as principais práticas e tendências da sustentabilidade na agricultura brasileira, e irá reunir grandes influências femininas que atuam a favor da sustentabilidade no agro.

Vamos abordar assuntos relacionados aos temas:

– ESG: o tripé da sustentabilidade

– Agritechs: contribuição para o uso equilibrado de água, energia, produtos agrícolas

– Biotecnologia: sementes e biofertilizantes

– Plano nacional de agricultura de baixo carbono: ILPF, plantio direto e recuperação de pastagens)

– Agricultura Regenerativa

– Projetos liderados por mulheres com foco na sustentabilidade no agro.

Acompanhe nossas redes sociais e o nosso portal que em breve iremos divulgar mais informações.

Clique aqui e veja a postagem sobre o evento no Instagram Agromulher
Compartilhar.

Sobre o Autor

Graduada em Egenharia Agrônoma e Mestre em Fitopatologia pela Universidade Federal de Viçosa – MG. Atualmente cursa o MBA em Marketing ministrado pela Esalq-USP. CEO e Fundadora da Rede Digital AgroMulher.

1 comentário

  1. Pingback: ESG: o tripé da sustentabilidade

Deixe Seu Comentário