Histórias de Sucessão Familiar: é hora de dar voz às mulheres do agro

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

Durante o mês de fevereiro, acontecerá o 3º Agromulher Voice, evento que dá voz para mulheres que estão vivendo ou já vivenciaram a sucessão familiar dentro de propriedades rurais. Continue lendo e conheça essa linda jornada feminina no agro 

Hoje, a história a ser contada é da Laura Testa Moura Vicentini, produtora rural que trabalha com economia circular, ou seja, aproveita totalmente a cultura da cana de açúcar – desde a gema até o bagaço. Engenheira agrônoma, pós-graduada em Gestão de Projetos e MBA em Marketing, Laura possui 12 anos de experiência em usinas de cana-de-açúcar. Diante da experiência e com a vontade de ter seu próprio negócio, Laura e o marido Rodrigo Spina, iniciaram o processo de sucessão familiar.  

Tudo começou quando Laura e o marido Rodrigo foram consultando a família dele, com intuito de abrir uma empresa utilizando uma pequena parte da fazenda da família, e o restante da propriedade ficaria arrendado para a usina de cana.    

Desse sonho nasceu a empresa Spinagro, que trabalha para promover o uso de tecnologia e prover soluções inovadoras na canavicultura nacional. Sua especialidade é a produção e a venda de mudas pré-brotadas, com sanidade, qualidade e padrão diferenciados, e assim, oferecer variedades novas, que garantem altos ganhos de produtividade. 

Durante o processo de administração da propriedade, Laura e Rodrigo foram conhecendo como funciona na prática o modelo de negócio para a cultura da cana-de-açúcar, a precificação, o mercado, entre outros assuntos. Para agregar conhecimento, eles investiram em cursos e fizeram negociações para melhorar os valores de contrato, tratos rurais, parcerias e maquinários fundamentais para a propriedade. Com o passar dos anos, foram adquirindo confiança de mercado, autoridade e conhecimento para trabalhar com o seu próprio fornecimento de cana.   

“Conseguimos trazer para a nossa empresa, a Spinagro, a ideia, execução e visibilidade para um agro mais sustentável.” – Laura Testa Moura Vicentini.   

Para Laura, o maior desafio durante a administração da empresa foi aprender a lidar com todas as oscilações do mercado da cana, já que isso impacta diretamente na renovação de contratos e seus termos. Segundo ela, estar presente e acompanhar o negócio no dia a dia, foi um grande divisor de águas para as tomadas de decisão dentro da fazenda.  

Quando o assunto é projetos e oportunidades que as empresas estão trazendo para as mulheres do agro, Laura comenta que já é possível ver as empresas incentivando mulheres para assumirem cargos de liderança. “Quanto mais empresas forem enxergando o valor das mulheres dentro do mercado agro, veremos muito mais melhorias no campo. Acredito que essas melhorias se darão pelas características da gestão feminina, que é uma gestão rentável quando comparada ao tradicional modelo masculino de trabalho.” – afirma Laura Testa Moura Vicentini. 

Por fim, Laura acredita que o agro vem se destacando cada vez mais no Brasil, e isso ocorre devido à força do mercado agro e oportunidades para o crescimento do setor. Para ela, a presença feminina nesse meio, com sua capacidade natural para gestão, tem tido um papel fundamental na sucessão familiar e na liderança das empresas familiares.  

Agromulher Voice 

De 9 a 23 de fevereiro, acontecerá a temporada no tema “A voz das mulheres sucessoras”. Totalmente on-line e grauito, o evento será uma oportunidade para aprendermos com mulheres que contornaram seus desafios com a sucessão, contando como e porque escolheram o agro.  


Acesse a página exclusiva do evento e faça sua inscrição, clicando aqui. 

Compartilhar.

Sobre o Autor

Engenheira Agrônoma, pós-graduada em Administração e Negócios (Unoeste).

Deixe Seu Comentário