Milho safrinha: como evitar perdas na produção?

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

A perspectiva para a 2ª safra de milho no Brasil é positiva e o levantamento da Conab prevê crescimento em área e em produtividade. E para garantir estas altas produtividades, o produtor precisa estar atento a alguns pontos a fim de evitar perdas durante o processo produtivo. Continue sua leitura e conheça 5 pontos que merecem atenção dos produtores e produtoras de milho 

O cenário do mercado de milho tem apresentado uma realidade com recordes históricos de preços. Segundo o apontado pela Conab no documento “Perspectivas para a agropecuária 2021/2022”, o mercado do milho na safra passada apresentou graves problemas climáticos que impactaram significativamente na produtividade das lavouras. Isso resultou em uma menor disponibilidade do grão e uma alta dos preços médios no Brasil. Por conta deste cenário, a companhia acredita que ocorrerá um aumento do interesse no plantio do cereal nesta safra corrente (2021/2022). Este aumento significativo é esperado com mais força justamente na segunda safra (chamada safrinha). É previsto um aumento de cerca de 3% de área plantada; e da produtividade que, pelo levantamento, deve subir de 4,4 toneladas por hectare (t/ha) para 5,63 t/ha. Todo esse aumento deve resultar em um aumento de 33,8% em relação à produção da safra 20/21. 

Mas sabemos que, da mesma forma que o preço do milho aumentou significativamente, os insumos também acompanharam esta alta. E não tem sido fácil produzir. O produtor e a produtora passam por inúmeros desafios durante todo o processo produtivo. O investimento de tempo e dinheiro são muito altos. E o dinamismo da agricultura gera um emaranhado de situações que mudam a cada dia e necessitam de tomadas de decisão rápidas e assertivas.  

E quando falamos em segunda safra, o desafio é ainda maior. Geralmente, o produtor enfrenta (além dos problemas com pragas, doenças, plantas daninhas, entre outros) condições climáticas não muito favoráveis, principalmente se ele plantar próximo ao final da janela de plantio. São desafios que mudam a cada safra, pragas que ganham destaque por conta do nível de dano ocasionado; plantas daninhas de difícil controle ou até mesmo resistentes; doenças que ocasionam grandes perdas; e problemas climáticos ou até mesmo catástrofes naturais que podem destruir plantações inteiras. 

Então, como se preparar para uma 2ª safra?

Diante deste cenário desafiador, como o produtor pode se preparar para a segunda safra de milho a fim de evitar perdas na produção? Vamos mostrar aqui 5 pontos que irão ajudar você produtor ou produtora durante sua segunda safra de milho: 

  1. PLANEJAMENTO: a base de uma segunda safra de sucesso é o planejamento desde a 1ª safra a fim de se programar para que o plantio do milho subsequente seja feito dentro da janela ideal, inclusive dentro do que dita o Zoneamento Agrícola de Risco Climático (ZARC) para a região. Este planejamento inclui verificar as condições climáticas previstas, a situação do mercado, disponibilidade de insumos, entre outros inúmeros fatores que ditarão o sucesso da produção. 
  2.  MONITORAMENTO CONSTANTE: é preciso estar atento constantemente à lavoura. A identificação de um problema aos seus primeiros sinais aumenta muito a chance de sucesso no seu controle, seja ele uma praga, uma doença, uma planta daninha, uma deficiência nutricional, ou algo do tipo. Estar atento aos mínimos sinais que as plantas nos dão, fazer monitoramentos constantes, fazer análise de solo e foliar, corrigir os índices nutricionais que estão abaixo do esperado, tudo isso são medidas que precisam ser tomadas a tempo e a hora para garantir a melhor performance da sua lavoura.
     
  3. MANEJOS ADEQUADOS E EFICIENTES: junto ao monitoramento é preciso realizar manejos adequados e eficientes desde o plantio até a colheita. E para isso o produtor precisa ter uma equipe capacitada e motivadamaquinários bem regulados e com a manutenção em dia, além de orientação e assistência de qualidade. 
  4. INSUMOS DE BOA QUALIDADE: além de tudo isso que já comentamos, o produtor precisa escolher insumos de boa qualidade. Desde a semente que ele escolhe, até os defensivos e os fertilizantes precisam ser de origem confiável e de boa qualidade, afinal é muito dinheiro investido na lavoura, e um insumo de má qualidade é algo que, provavelmente, irá comprometer de forma significativa a produtividade. 
  5. CONTRATAÇÃO DE SEGURO AGRÍCOLA: e pensando nos exorbitantes valores que o produtor tem investido em uma lavoura e nos riscos inerentes da atividade, o seguro agrícola é um passo primordial para resguardar a produção e garantir um sono mais tranquilo, principalmente quando falamos em 2ª safra, quando em muitas regiões os regimes de chuvas já ficam mais instáveis e podem gerar condições climáticas desfavoráveis. O ditado bem diz: “melhor prevenir do que remediar”. E neste caso, a prevenção pode lhe poupar de perdas incalculáveis. 

Com estas 5 dicas que demos aqui, você pode se preparar melhor para esta 2ª safra e buscar uma melhor performance na produção de sua fazenda, além de mantê-la segura e resguardada. Esteja atento a tudo aquilo que pode gerar perdas e prejuízos na sua lavoura. Lembre-se: a rentabilidade é construída a partir do básico bem feito até chegar ao ajuste fino bem alinhado. E o importante é estar seguro ao longo de todo o processo produtivo. 

Sobre a It’sSeg 

It’sSeg é uma corretora de seguros independente e brasileira, que busca trazer soluções de forma inteligente e alinhada a natureza de cada cliente. A empresa trabalha para trazer uma contribuição real para os negócios e para as pessoas.    

A proposta da It’sSeg é ser um elo de conexão e segurança no ecossistema do agronegócio, promovendo bons negócios. Com o objetivo de facilitar o acesso e entendimento sobre seguros, do pequeno produtor à grande indústria e cooperativa. Para mostrar que seguro não é um custo, e sim uma segurança e investimento futuro para o seu negócio.   

Conheça a It’sSeg, seus produtos e benefícios acessando o site ou as redes sociais da empresa. Quer entender melhor sobre o ramo dos seguros e como esse setor está diretamente ligado ao agronegócio? Acompanhe o conteúdo desta parceria entre Agromulher e It’sSeg e fique bem informada. 

Compartilhar.

Sobre o Autor

Filha de produtores rurais, técnica em agropecuária, jornalista e estudante de Agronomia.

Deixe Seu Comentário