Sistemas Agroflorestais – SAFs

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

Os sistemas agroflorestais (SAFs) são consórcios de culturas agrícolas com espécies arbóreas de estrato de folhagens alto, médio e baixo, que plantadas juntas e na época certa controlam a competição por água e nutrientes e ajudam no desenvolvimento de cada cultura.

Para os pequenos produtores e agricultores familiares, os sistemas agroflorestais constituem uma tecnologia fundamental para produzir de maneira sustentável, pois além de atuar com os sistemas de integração, possibilitam uma maior geração de renda a longo prazo. Continue a sua leitura para saber mais.

Mas afinal, o que são SAFs?

Basicamente, são formas de uso e manejo do solo em que árvores ou arbustos são combinados, de maneira intencional e planejada, a cultivos agrícolas e/ou animais em uma mesma área, ao mesmo tempo (associação simultânea) ou em uma sequência de tempo (associação temporal), para diversificar a produção, ocupar a mão de obra, gerar renda, proteger o solo e a água, além de promover o envolvimento da população local.

Seus principais objetivos são:

  • Formar sistemas produtivos ecológicos mais sustentáveis, com menor uso de insumos externos;
  • Diversificar o cultivo da terra, com a inclusão de plantas de ciclos curto, médio e longo, além da utilização de animais;
  • Diminuir os riscos de mercado para o agricultor, por meio de uma maior variedade de culturas e de espécies animais com valor econômico e de fácil comercialização;
  • Elevar a qualidade de vida do produtor; e
  • Melhorar e diversificar a produção de alimentos e a oferta de serviços ambientais (polinização, ciclagem de água e nutrientes, além de fertilidade do solo, entre outros).

Implantação x Recuperação Ambiental

Se você já ouviu falar de SAFs, com toda certeza ouviu algo relacionado a melhorias nos aspectos ambientais, então vamos entender melhor como essa relação funciona.

Para recuperação ambiental os sistemas produtivos devem se basear na sucessão ecológica, análogos aos ecossistemas naturais, em que árvores exóticas ou nativas são consorciadas com culturas agrícolas, trepadeiras, forrageiras, arbustivas, de acordo com um arranjo espacial e temporal pré estabelecido, com alta diversidade de espécies e interações entre elas. Dessa forma os sistemas agroflorestais, otimizam o uso da terra, conciliando a preservação ambiental com a produção de alimentos, conservando o solo e diminuindo a pressão pelo uso da terra para a produção agrícola. Podem ser utilizados para restaurar florestas e recuperar áreas degradadas.

Atenção:

1) os SAFs são permitidos em ARL, APPs de pequenas propriedades ou posse rural familiar e em AUR com declividade entre 25° e 45° e áreas consolidadas;

2) o plantio de espécies exóticas com espécies nativas de ocorrência regional não pode ultrapassar 50% da área total a ser recuperada.

Mas afinal, quais as vantagens da aplicação dos SAFs?

  • Devolver ao solo, com a queda de folhas, ramos e galhos, parte dos nutrientes retirados pelas raízes;
  • Aproveitar a energia do sol pelos diferentes estratos (camadas) das espécies vegetais;
  • Aumentar a matéria orgânica, contribuindo para melhorar as condições físicas e químicas do solo e, por consequência, a sua capacidade de retenção de água; •
  • Proteger o solo contra a erosão;
  • Contribuir para regular o ciclo da água no local;
  • Tornar os sistemas de produção mais resistentes às variações climáticas, proporcionando, desse modo, sombra e proteção contra a ação do vento;
  • Gerar receitas no curto e médio prazo com cultivos agrícolas ou atividades pecuárias, favorecendo a implantação de árvores na mesma área, cuja renda virá em longo prazo;
  • Reduzir a ocorrência de pragas e doenças, diminuindo a necessidade de uso de insumos químicos, exigindo menor investimento;
  • Conciliar a produção florestal com a produção de alimentos.

Durante a fase de planejamento do sistema, é importante que o produtor agroflorestal leve em consideração a análise de mercado, bem como a avaliação das alternativas existentes, para a comercialização dos produtos. O planejamento deve levar em consideração todas as atividades envolvidas no sistema de integração.

Os sistemas agroflorestais estão cada vez mais comuns em diversas regiões do nosso país, mas é indispensável que o produtor entenda e conheça a sua realidade e o mercado e que o projeto seja desenvolvido com base nas características de sua região e propriedade.

Gostou desse conteúdo? Então não deixe de nos acompanhar nas mídias sociais e fazer sua inscrição para o Fórum #AgroSustentável, o evento será 100% On-line e Gratuito!  Clique aqui para saber mais!

Fontes: SENAR, EMBRAPA.

Compartilhar.

Sobre o Autor

Engenheira Agrônoma, CEO da AgroCampo Soluções Agrícolas e Ambientais, Fundadora do Protagonista - Negócios de Sucesso, Gerente de Relacionamento da Rede Agromulher e Diretora de Relações Públicas da Associação dos Engenheiros e Agrônomos de Ubá.

1 comentário

  1. Pingback: Agromulher e Nestlé promovem live sobre gestão de produção sustentável 

Deixe Seu Comentário